terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

EAGLES ANUNCIAM TRÊS NOVAS CONTRATAÇÕES

O site oficial anunciou que o Eagles contratou três novos jogadores nesta terça-feira. Foram eles:

Defensive tackle - Amon Gordon
Linebacker - Charleston Hughes
Safety - Byron Parker
- Gordon está na NFL a 5 anos e jogava nos Titans, porém seu início foi pelo Cleveland Browns.
- Os outros dois vieram da Liga Canadense de Football.
- Parker foi duas vezes All-Star player nas últimas 3 temporadas.
- Hughes foi recordista na última temporada: 71 tackles e 5 sacks no total de 18 jogos.
Vamos ver se tais contratações valeram a pena!
Na minha opinião contratar um safety, pode ser uma possível substituição para Dawkins, que é um free agent, porntanto isso pode ser uma péssima notícia. Espero que mantenham os dois.
E você o que acha? Comente!

DA MESA DO PRESIDENTE IV

A quarta parte da reportagem "From the President´s Desk", Joe Banner fala das contratações e do orçamento do time. Confiram. Para assistir o vídeo original clique na foto, ou acesse http://www.philadelphiaeagles.com/

Toda offseason é diferente, o cenário na NFL sempre muda, obrigações e salários. Pra você qual são as decisões mais difíceis a se tomar?

R: A mais difícil esse ano, e é um sentimento que já tenho a 5 ou 6 anos, que é decidir sobre seus próprios jogadores. O mercado dos free agents é estreito, muito espaço pra negociar e não acho que nenhum time vai ter um grande impacto nisso, portanto todos os times terão chances de melhorar por igual.
No nosso time há muitos deles que fizeram parte deste sucesso do último ano e muitos deles do sucesso dos últimos dez! Portanto muita dificuldade de decidir individualmente e em grupo.
Faz muito tempo que não temos tantos jogadores para decidir (free agents). Nunca tivemos um número tão grande e um número tão bom de jogadores comprometidos com o time e preocupados com a vitória. É um componente importante para decidirmos o que é bom para montarmos um time vitorioso para a próxima temporada. Então acho que essas serão as decisões mais difíceis esse ano.

Podería dizer qual a situação dos Eagles com relação aos salários? O orçamento para este ano?

R: Estamos bem esse ano. Melhor que o ano passado. Acho que somos um dos melhores times nesse aspecto, com um grande orçamento. Acho que apenas uns cinco ou seis times terão orçamento maior que o nosso no próximo ano. Isso nos garantirá uma grande flexibilidade. Temos que analisar quanto será gasto para manter nossos jogadores e quanto iremos gastar para contratar outros novos. Não temos certeza de quanto necessariamente, mas como disse, muita flexibilidade. Haverá uma grande mudança nos salários, visto que temos um grande grupo de jogadores de 40 a 50 milhões nesta offseason.
Alguns times terão que ajustar contratos, para ajustar-se ao orçamento. Alguns times têm um pouco sobrando e outros não tem nada, mas sempre esperamos ter dinheiro para ter os jogadores que nos interessa e competindo com os outros que também tem tal dinheiro para gastar.
Se estivermos competindo com times que tem um orçamento igual ao nosso teremos que analisar quais são as prioridades ou ser agressivos para conseguir tal jogador. E se fizermos isso é porque valeu a pena. Porém há times que não estão interessados nos free agents, apenas manterem o grupo ou contratar pouco.

Há algum time que não tem dinheiro na NFC Leste?

R: Sim, mas não vou comentar. Os Cowboys e os Giants estão muito bem. Eles tem bastante dinheiro, não muito, mas tem certa flexibilidade. Portanto terão que gastar para manter seus bons jogadores, especialmente os free agents. Os Red Skins terão que fazer uns ajustes para manters seus jogadores, igual o ano passado. Portanto eles começam em uma situação um pouco mais difícil.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

CONGRATS STEELERS !!!

A temporada acabou! E com um gosto de quero mais...Que jogo.
O Super Bowl das viradas acabou consagrando a equipe de Pittsburgh.
O Arizona sofreu do próprio mal!
A situação do jogo final foi a mesma quando jogaram o campeonato da NFC com os Eagles, mas exatamente ao contrário...
Contra os Eagles, os Cardinals começaram com um grande placar, tomaram uma virada espetácular e com um touchdown no final do jogo ganharam a decisão.
No Super Bowl foi apenas um filme diferente com o mesmo tema. Os Cardinals tiveram o gostinho da virada e a possível vitória nas mãos - e perderam. Exatamente o que sofreu os Eagles.
Não se trata de revanche pessoal, porque como disse antes eu queria um bom jogo e eu tive...
Parabéns aos Steelers pela 6° vitória no Super Bowl - o maior de todos os tempos, deixando Dallas, e São Franscisco para trás.
Gostaría de agradecer o Alexandre e a Sibele que nós receberam tão bem em sua casa para a festa do Super Bowl XLIII e a todos que lá estavam. Foi uma festa e tanto.



PARABÉNS STEELERS!


sábado, 31 de janeiro de 2009

O SUPER BOWL XLIII ESTÁ CHEGANDO




Um pouco mais de 24 horas para o início do "Big One" aproveito aqui para divulgar o resultado da enquete. O povo votou, e com 70% dos votos válidos para essa final, os STEELERS serão os campeões.
Independente de quem vencerá, será uma grande partida e como eu já disse antes e repito:

O que eu quero mesmo é assistir um bom jogo de football.

Lembrando que a ESPN transmitirá o Super Bowl direto de Tampa Bay começando suas transmissões às 20:00hs para o kick off às 21h.

Para quem não assina o canal, pode assistir pela internet nos links abaixo:



(Os links estarão disponíveis até 3 horas antes do jogo)


X

BOM SUPER BOWL A TODOS !!!

DA MESA DO PRESIDENTE III

No terceiro episódio de “From the President´s Desk, Joe Banner fala sobre a equipe de técnicos. Primeiro sobre Andy Reid que está nos Eagles a 10 anos. O maior vencedor na história da franquia.
Andy levou o time a um Super Bowl e cinco finais de Conferência nas últimas 8 temporadas. O que Joe Banner pensa sobre os técnicos, como eles interagem e como se comportam no time, você confere agora.

Não há nos Eagles pior trabalho, ou trabalho mais tenso e nervoso do que o trabalho de Andy Reid. Como você avalia todo o trabalho dele durante todos esses anos?

R: Já respondi isso antes e digo que, agora todos estão tensos e críticos com relação a ele, mas isso é normal, isso vem da paixão dos fãs pelo time. Meu tipo de pensamento é simples. John Madden foi técnico do Oakland Raiders por 10 anos. Ele foi a cinco finais de conferência, ganhou mais de 100 jogos em temporadas regulares e foi a dois Super Bowls, sendo que venceu apenas um. Se aposentou após isso e foi para o Hall da Fama.
Ainda não estamos neste nível, mas estamos bem perto. Sei que muitas pessoas questionam sobre ele. Ele é uma ótima pessoa, técnico e líder. Recuperou esse time de certas situações, como por exemplo, o enorme número de lesões em nossos jogadores alguns anos atrás e ainda chegou bem ao final da temporada.
Esse ano foi bem similar, porque poderíamos ter arrumado as malas e ter ido embora bem antes do esperado, e ao invés disso aconteceu exatamente o contrário, nosso football melhorou. Muitos técnicos em qualquer esporte não seriam capazes de manter o time unido, forte e otimista como ele, então eu continuo sendo um grande fã e feliz por ter a oportunidade de trabalhar com Andy.

Ano após ano, técnicos que faziam parte da equipe de Andy Reid e que foram revelados pelos Eagles saem para trabalhar em outros times. Qual sua reação com relação a esses times que procuram esses técnicos e qual a dificuldade de substituí-los?

R: Minha reação é sempre misturada. De um lado estamos perdendo pessoas que faziam um bom trabalho, na maioria dos casos amigos pessoais nos quais eu gostava de trabalhar. De outro lado são pessoas que merecem a oportunidade que lhe é dada e nos sentimos orgulhosos que a maioria são muito bem sucedidos. Substituí-los é um desafio. Acho que um dos mais importantes nisso tudo é Andy Reid. Toda qualidade que ele traz para sua equipe, a habilidade que ele tem de escolher as pessoas certas e persuadi-los para trabalhar conosco e que esse é um bom lugar para se trabalhar.
Sinto que ele continua fazendo isso e trará boas pessoas para o time. É um de seus melhores atributos, escolher bons técnicos para a equipe e tenho nenhuma dúvida que ele continuará a fazer isso.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

SUPER BOWL EM CURITIBA

Ola Pessoal.
Esse é um recado para quem mora em Curitiba e região.
Quem estiver disposto a se reunir com os fãs de football americano em Curitiba para assistir o Super Bowl e falar o dia inteiro sobre o esporte, essa é a oportunidade.
O David, dono do time Curitiba Hurricanes junto com outras pessoas, organizaram uma "confraternização" na casa de um dos membros do time.
Começará as 14:30, com uma reunião do time e outras pessoas interessadas em entrar, e após a preparação para o jogo.
Se você tiver interesse em ir, deixe um recado nos comentários dessa mensagem com seu e-mail que entrarei em contato para mais informações.
Um grande abraço a todos.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

McNabb empolgado para ser um Eagle em 2009!

O quarterback dos Eagles Donovan McNabb estava de volta na mídia no Super Bowl. Não do jeito que os fãs gostariam, mas McNabb se juntou a equipe do SportsCenter da ESPN em Tampa para a primeira de três noites de cobertura do evento.

McNabb estava atrás da mesa principal com os veteranos da ESPN Steve Levy, Tom Jackson and Steve Young.
De cara, perguntaram a ele sobre o boato de o ex-quarterback dos Eagles Doug Pederson ter sido contratato como técnico assistente de ataque.

“Ele é muito bom, muito bom mesmo,” disse McNabb. “Primeira vez que ouço isso. Parabéns a Doug e espero trabalhar com ele em breve”.Não há nenhuma manifestação oficial dos Eagles sobre o assunto.

Mais tarde no programa, McNabb sentou para ser entrevistado por Levy e discutir sobre os Eagles. Apesar de ser os Cardinals jogando o Super Bowl e não os Eagles, McNabb deu créditos ao adversário.

“Dou crédito à eles por terem a oportunidade de chegar até aqui”, ele disse. “É uma coisa que Ken Whisenhunt tem tentado colocar na cabeça dos jogadores. Sou amigo de muitos deles. Levou muito tempo pra eles se arrumar, mas o que vemos é um time capaz de se organizar, e que soube lhe dar com a pressão quando foi necessário. E eles estão sendo premiados com essa presença aqui.”

Quando perguntado de um momento decisivo em 2008 McNabb deu um merecido agradecimento ao time da NFL que joga em Tampa (Buccaneers) por ajudarem seu time a chegar nos playoffs.

“São muitas coisas que temos que olhar. Podemos olhar para jogos. Para jogadas. Para jogadores fazendo jogadas impactantes, mas acho que o que vimos mesmo foi um time que se uniu na hora certa. E claro, queremos ir aos playoffs quando nos é dado a oportunidade – obrigado Tampa por ter nos dado essa oportunidade – mas o time jogou com a corda no pescoço, e é isso que tem que ser feito para chegar nos playoffs.” Disse McNabb. “Viemos confiantes e nos demos por inteiro a esta oportunidade, mas nunca a aproveitamos.”
Finalmente, McNabb falou sobre sua reação às declarações do presidente Joe Banner, que ele e o HC Andy Reid irão retornar para temporada 2009. McNabb está olhando para o futuro e quer ter certeza que ele e os Eagles estarão jogando o próximo Super Bowl.

“Olho adiante para chegar lá e conseguir. O “draft” será muito importante pra nós. Free Agency é muito importante para nós para trazer gente nova e adicionar ao que já temos. Claro que terão algumas decisões a ser tomadas junto com os jogadores que estão comigo e já estão estabilizados no time.”

Eles estarão de volta ou eles (dirigentes) farão os jogadores tomarem a decisão?”
“Estou empolgado pelo que podemos fazer no ano que vem e espero que no próximo ano nos encontremos aqui para jogar o Super Bowl.”

Clique aqui para assistir a entrevista em inglês.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

DA MESA DO PRESIDENTE II

Continuando a série "From de President´s desk", aqui vai a 2° parte da entrevista com o presidente do Eagles Joe Banner feito pelo site oficial, lançado hoje e traduzido por este blogger pra vocês. Exclusivo! (Clique na foto para assistir o vídeo em Inglês)
Que tipo de frustração ou outro sentimento sua equipe teve após o jogo contra o Arizona? Que sentimento tirou disto?

R: Um nível muito, muito alto de frustração. Estávamos lá. Tivemos muitos altos e baixos pra chegarmos até lá. Tivemos uma grande oportunidade, de ganhar o jogo, levantar o troféu, lotar Tampa Bay com fãs dos Eagles. Conseguir estar na final (NFC) novamente, mesmo sem ganhar o troféu, é gratificante e é com isso que você fantasia o tempo todo. É isso que te motiva para continuar jogando por 60, 80 dias no ano. Ter este trabalho significa passar por tudo isso, e estar tão perto como estávamos e não conseguir é muito difícil.
Não é um bom momento para tomar decisões, porque estamos emocionados e frustrados. Temos que dar um tempo pra todos.
Não sei se algum dia irão esquecer o jogo, mas vai chegar um ponto onde você não vai estar mais deprimido, vai estar apenas desapontado.
Depressão não é um bom lugar para estar quando se quer continuar adiante, mas frustração pode lhe motivar mais ainda para jogar melhor.

Está convencido que, com o desenrolar desta temporada, o time abrirá portas para 2009 e será um time de Super Bowl?

R: Temos respondido essa pergunta desde 2001, junto com outras de erros pessoais, jogadas ruins, e da redução de talento no time. O “sistema” te ajuda se você é esperto, se fizer grandes jogadas e boas decisões pessoais; e o puni se perder.
Se começar tomar decisões fracas, seu time ficará mais fraco. Se for sensato seu time será estável. Fizemos isso bem, de ter um time cada vez mais forte e capaz de jogar de igual para com os outros, sendo um dos melhores times da liga. Na minha cabeça acho que entramos em outro nível onde não precisaríamos mais responder essas perguntas.
Temos um grande número de jogadores jovens jogando muito bem, e sempre esperamos que esses jogadores sempre sejam melhores do que já foram. Nossa defesa quase que inteira é assim, visto o tempo que estou no time. Todos sabem que o jogo final da NFC foi o que equilibrou nosso ataque, com alguns pontos ainda a serem preenchidos, mas sem dúvida um grande grupo de jovens jogadores que tendem a ficar melhores com o passar dos anos, então acho que mesmo a frustração do último jogo foi importante para eles. Portanto, acho que teremos um excelente time para os próximos anos.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

DANÇA DAS CADEIRAS NOS EAGLES

A dança das cadeiras começou em Philadélphia.
Após 7 anos nos Eagles, treinador de quarterbacks Pat Shurmur está de malas prontas.
Ele foi contratado na quinta-feira pelo St. Louis Rams para ser coordenador ofensivo do time sob a supervisão do head coach Steve Spagnuolo. Pat se tornou o 8 oitavo assistente de Andy Reid a se tornar coordenador.
Como técnico de quarterbacks, ajudou Donovan McNabb ganhar três prêmios de suas 5 idas aos Pro Bowl. Na temporada passada, McNabb conseguiu mais um recorde na NFL, o de jardas passadas: 3.916 e completados: 345. Em 2004 Mcnabb estabeleceu o recorde média de passes completos (64,0).
McNacbb tornou-se o primeiro quaterback da história da NFL a conseguir em uma temporada e + de 30 passes para touchdowns (31) e menos de 10 interceptações (8).
Ainda ajudou Jeff Garcia, substituto de McNabb na temporada de 2006 a conseguir um ótimo resultado de vitórias 6-2, incluindo playoffs.
Os Eagles ainda não anunciaram um substituto para Pat Shurmur.
E você o que acha disso? Comente!

DA MESA DO PRESIDENTE I

Hoje o site oficial começou uma série de reportagens com o presidente Joe Banner, FROM THE PRESIDENT´S DESK, onde o mesmo é entrevistado e diz a sua versão ou a sua opinião sobre o time nesta temporada de 2008.

O vídeo está disponível no site oficial http://www.philadelphiaeagles.com/.
Pra você que não entende Inglês, disponibilizo aqui a entrevista traduzida. Lembrando que é apenas o começo, o resto da reportagem virão nos outros dias, e assim que sairem eu posto aqui traduzido pra vocês. EXCLUSIVO. Aproveitem!


Como você vê essa última temporada dos Eagles tão cheia de altos e baixos?

R: A primeira reação é que não alcançamos o objetivo final, que foi vencer o Super Bowl. Continuar desapontando em não conseguir chegar lá. Mas há muitos sentimentos positivos com relação à temporada. Melhoramos em quesitos como: caráter dos jogadores, a química entre eles, pessoas trabalhando duro, pensando e se esforçando muito para ganhar. Seguimos a filosofia do time com Andy (Reid), que provou mais uma vez ser a opção certa pra nós.
Falando dos altos e baixos, relembro que comecei a temporada muito otimista, jogamos muito bem os primeiros jogos e depois nos “afundamos” um pouco. Melhoramos e afundamos de novo. E pra falar a verdade tivemos um pouco de sorte de chegar aos playoffs com um pouco de “corrida”.
A temporada terminou mais ou menos do mesmo jeito que começou pra nós. Acho que o jogo com o Arizona foi um retrato de toda a temporada; nos enfiamos em um buraco, conseguimos sair e na reta final não cruzamos a linha de chegada em primeiro.

Tido essa experiência anteriormente, há alguma diferença entre o jogo com o Arizona e com os outros jogos da final da NFC?

R: Sim, em alguns aspectos. Não é nada novo. No último drive com o Arizona, foi uma recordação do jogo dos Rams em outro ano. Tivemos a chance de vencer o jogo no final, com o mesmo tanto de jardas, algumas jogadas não funcionaram direito; isso foi bem parecido.
Foi muito parecido também na minha mente com jogo de Tampa Bay, onde eu estava muito otimista e nada saiu como eu esperava. Jogamos com St. Louis e Carolina, jogos duros, que também não passamos. No jogo do Arizona eu estava ainda mais confiante e não saiu nada bem. Essas foram as similaridades.
Eu acho que foram similares deste tipo que me fez gostar do jeito do time, me sentir orgulhoso de como jogaram. Mesmo começando mal, fizemos ótimas jogadas e a intensidade do jogo, os drives, enfim, tudo que fizeram, foram para ganhar. Mesmo quando as coisas não estavam bem, não sentia nada além do sentimento de saber que estavam fazendo tudo que podiam para ganhar. Nunca senti antes em nenhuma outra final da NFC, portanto foi muito bom de sentir esse sentimento.

COMEMORAÇÃO DE TOUCHDOWN HILÁRIA

E eu pensei que a comemoração de DeSean Jackson no jogo contra o Arizona tinha sido legal....
A dança é meio "estranha", mas não deixa de ser inusitado, principalmente na NFL que são cheios de frescura com relação a comemoração. (Esse era um jogo de pre-season)



Ps: Não consegui terminar a matéria prometida pra hoje, assim que eu terminar eu posto.

sábado, 24 de janeiro de 2009

AOS VISITANTES DESTE BLOG

Membros deste BLOG.

Gostaría de primeiramente dizer que é uma enorme satisfação escrever para vocês e participar deste universo de Football Americano, e claro do Philadelphia Eagles.
Agradecer também as visitas que tenho. Meu blog está no ar a duas semanas e meia e já temos quase 1000 hits e 500 diferentes visitantes, média de 35 por dia. Alguns entrando diariamente à procura de notícias frescas do nosso time, outros a procura de diversão.
É isso que me motiva a continuar escrevendo aqui e seguir adiante com esse Blog que comecei sem pretensão nenhuma.
A minha procura por notícias específicas dos Eagles em blogs brasileiros foram frustradas, então resolvi correr atrás e fazer um eu mesmo, que até agora tem sido uma experiência maravilhosa.
Toda essa pequena trajetória está dando certo devido a visita de todos e o apoio que recebo em e-mails e alguns comentários.
Portanto, a todos que visitam, visitaram e acompanham o blog, MUITO OBRIGADO.

Aproveitando, quero dizer que estarei fora pro fim de semana, retornarei no domingo apenas.
Já tenho uma matéria quase pronta pra amanhã. Se der tempo de finalizar eu posto amanhã mesmo na parte da noite. A matéria é de minha autoria mesmo e o tema é ótimo.

Mais uma vez obrigado e bom final de semana a todos.

Luiz Antonio Gouvêa - Blogger

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

ENTREVISTA COMPLETA APÓS O JOGO DOS CARDINALS COM ANDY REID

Vale a pena conferir.

Tirado do site oficial e traduzido por este blogger: http://www.philadelphiaeagles.com/news/Story.asp?story_id=17308

Considerações iniciais: Nós não temos nenhuma ferida aberta agora. Estamos fazendo o necessário enquanto falamos. Coletivamente, como organização, como técnicos e jogadores de football, estamos desapontados com o resultado do jogo de ontem (18/01). Tiro meu chapéu para os Cardinals pelo que fizeram. Eles estavam bem preparados. Eles jogaram bem e merecem a oportunidade de ir ao Super Bowl. Tive a chance de conhecer o time hoje. Acho importante os jogadores sentirem e relembrarem o sentimento que tiveram hoje, para carregar isso e treinarem mais duro ainda para a pós-temporada e prepararem-se melhor para o próximo ano.

“Do lado positivo, temos um bom núcleo de jogadores sob contrato que irão retornar”. Disse Reid. “Os “free agents” ainda não foram contatados, então é inútil tocar neste assunto na entrevista. Vamos entrar em contato assim que as coisas se acalmarem. Tenho tido a chance de falar um pouco com eles – os “free agents” incluindo. Quando estivermos todos mais calmos e tivermos superados este jogo, aí vamos olhar todas essas coisas. Há algumas coisas que mudaram esse ano. Tivemos uma grande coração nesse time; um grande esforço foi mostrado desde os treinamentos. Esses playoffs são decisivos. Claro que ficamos com esse gosto amargo na boca, mas você não quer afastar todas as coisas boas que esse time alcançou e a personalidade que desenvolveram na temporada. Ano que vem será um novo ano e teremos novos rumos à seguir como time. Esse foi um time especial, fazendo o que eles fizeram. É uma pena não termos ido adiante.

Se ele sabe se o escritório central irá manter a mesma estrutura para o ano que vem: “Nem mesmo pensei sobre isso. Está tão recente. Eu acabei de sair de uma reunião com os jogadores.”

Se ele, o presidente Joe Banner ou o dono Jeffrey Lurie já falaram das coisas que gostaram nesta temporada: “Não passamos por isso. Nunca falamos desse tipo de coisa.”

Se ele está preparado para lhe dar com seus técnicos assistentes indo para os outros lugares e sobre a oportunidade que lhes é apresentada: “Novamente, não cheguei lá ainda. Vou pensar, como sempre faço. Sempre vamos cuidar dos Eagles primeiro, e desse ponto pensaremos nos técnicos assistentes. De novo, isso é tudo recente. Vamos ver como as coisas vão sair daqui alguns dias.”
Sobre o processo de avaliação dos jogadores velhos nos quais os contratos estão vencendo e como se encaixarão no time: “Você tem que dar um tempo. Tem que voltar e olhar o filme. Tem que se comunicar com o departamento pessoal, olhar os contratos e ver como se encaixa,” disse Reid.” Temos que olhar tudo, e isso leva um tempo. Não é tão fácil e simples como alguns pensam.”

Como se sente sobre Brian Dawkins, e se ele ainda tem habilidade para começar um jogo da NFL: “Ele jogou muito bem esse ano.”

Sobre essa coisa de seus jogos de campeonato na NFC serem barreiras tão difíceis de superar: “Uma em cinco possíveis não é boa coisa, ao menos não na minha mente. Claro que você quer passar por todas. Foram todas diferentes. No resultado final tenho que vir aqui e olhar pra vocês e pra meu time. Prefiro seguir adiante.”

Se as razões de suas perdas nesses jogos de NFC foram por não conseguir turnovers: Há outras coisas que se encaixam nisso. Temos que analisar isso, analisar o jogo e estudá-lo; do lado pessoal e tático. Sempre digo que começa comigo e segue daí. Você volta e tenta cobrir todas as outras áreas.

Sobre o time estar em “ascensão” depois das perdas na NFC de 2000, 2001, e 2002 e como ele sente que o time está agora: “Acho que a liga, com essa paridade envolvida, lhe dá oportunidade de ter sucesso todo ano. Com isso vou falar apenas sobre o primeiro comentário, que desde da primeira derrota do campeonato da NFC para os Rams, ouvi que a janela havia se fechado. Não vejo desta forma; Nunca vi e nunca verei. Acho que todo ano temos uma oportunidade. Temos que tirar vantagens delas, claro, quando conseguimos, mas ainda me sinto bem com relação ao retorno dos jogadores. Haverão mudanças? Sempre há mudanças, todo ano. Tentarei mudar para melhor.”

Se Brian Westbrook pode ser o jogador que era em 2007: "Acho que sim. Ele terá uma ótima “folga”(offseason) e voltará pronto.”

Se ele acha de o QB Donovan McNabb é o melhor quarterback para o time: “Sim. Vocês estão me perguntando coisas que eu já olhei e refleti. Falando hoje, me sinto muito bem com relação a Donovan. Ele teve um ótimo ano. Embora, acho que vocês tem que entender que gradualmente vai criando perguntas dentro de si que nunca tinham sido feitas antes. Você progride. Tiro o meu chapéu para Donovan McNabb. Ele foi ótimo. Acho que ele liderou esse time muito bem como sempre. Ele é uma ótima pessoa e um grande jogador.”

Em como os Cardinals foram muito superiores aos Eagles no jogo: “Estamos nisso juntos. Não temos técnicos aqui apontando dedos a jogadores e vice-versa. Poderíamos ter feito melhor no ataque, na defesa e nos times especiais, e não o fizemos coletivamente. Se você estiver indo ao Super Bowl tem que fazer isso quando estiver jogando com um bom time.
Onde o se sentiu mais vulnerável visto que Westbrook estava limitado esse ano: “Brian não estava limitado ontem. Ele estava lá, ele foi nosso tailback inicial. Apenas não tiramos vantagens das oportunidades. Eu poderia ter colocado os jogadores em melhores posições para as jogadas. Quando você começa chutando field goals e o outro time marcando touchdowns, não é uma situação boa. Você está inferior."

Como se torna frustrante para ele quando o time chega tão perto e nunca consegue: “Não posso lhe dizer que sou o cara mais feliz da Philadelphia agora. Estou desapontado que não estamos seguindo adiante. Não posso comparar com outras oportunidades. Tem uma hora que ouço pessoas reclamando de ir para o Havaí, mas se você não for em muitos anos o Havaí se tornará muito bom. Eu tentei separar esses anos e focar no meu trabalho de levar esse time para o Super Bowl. Naquele momento foi passar pelo Arizona, tínhamos que esta preparados e não estávamos.”

Se ele se sente confortável de chegar ao jogo final da NFC em cinco oportunidades já que muitas pessoas nunca ganharam um jogo de playoff: “Nem penso nisso. Não é uma briga raivosa contra alguém. O que eu puder trazer e o que o time pode trazer para ganhar o campeonato é o que eu me importo. Não estou me justificando ou coisa assim. Eu apenas não penso nisso. Não é meu estilo.”

Sobre o sentimento de depois de 10 anos na Philadelphia ele ainda tem o mesmo fogo interno para continuar: "Sim (brincando). Estou cansado das suas perguntas, mas sim”

Sobre sua confiança que Westbrook terá uma boa “offseason” e voltará pronto para o próximo ano: O que aconteceu com Brian foi uma grande torção no joelho, e aí que a coisa complicou pra ele. E isso durou muito tempo, especialmente nesta posição (Running back). Então eu pensei adiante no fim, e ontem foi um deles, acho que ele jogou e correu tão bem quanto o último mês todo. Parece que ele estava energizado ontem, ele estava jogando bem.”

O que o Arizona fez ontem no primeiro tempo de jogo que permitiu eles fazerem o que quiseram no campo: “Você sabe disso, eles jogaram rápido. Fizeram de várias formas, o mais óbvio foi a bola cruzada e as por baixo. Fizeram um bom trabalho com o modo de jogo, com jogadas rápidas e cruzadas.

APENAS UM CONSIDERAÇÃO

Bem como não tive direito de resposta, pois fui bloqueado, posto aqui minha mensagem para todos verem. Aos que não tem nada com isso, desconsiderem a mensagem e desculpas sinceras deste blogger.

Caro Jean,

Sua infantilidade é tremenda que realmente entrar em uma comunidade com este tipo de administrador, é melhor ficar de fora.
Em nenhum momento quis ofendê-lo, mas pelo visto você não entendeu nada do que eu escrevi.
Não vou continuar essa besteira, aliás, tenho coisas melhores pra fazer de que discutir com um adolescente mimado.
Boa Sorte com sua comunidade!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

DAWKINS ESPERA RETORNAR, MAS E RUNYAN?

Tirado do site oficial http://www.philadelphiaeagles.com/news/Story.asp?story_id=17321 e traduzido por este blog.


Com a derrota para os Cardinals ainda fresca na cabeça, o técnico Andy Reid evitou mexer no assunto “free agency” na entrevista final do jogo da conferência na segunda.

Mas com certeza estava na mente de alguns jogadores quando saíram de seus armários no Complexo de NovaCare, que aquela saída talvez poderia ser a última.

O free safety Brian Dawkins, e os offensive tackles Tra Thomas e Jon Runyan, bem como o running back Correl Buckhalter são apenas 4 dos 10 potenciais “free agents” que os Eagles terão que contatar durante a folga da temporada que começa daqui duas semanas.

“Do lado positivo, temos um bom núcleo de jogadores sob contrato que irão retornar”. Disse Reid. “Os “free agents” ainda não foram contatados, então é inútil tocar neste assunto na entrevista. Vamos entrar em contato assim que as coisas se acalmarem.

Continuando sobre a perda de domingo, Dawkins foi perguntado sobre o que seu futuro o aguarda. Ele soou como um jogador que estará vestindo o verde “midnight” (tipo de verde dos Eagles) em setembro.

"Não sei, mas eu tenho dito: Não tenho nenhuma dúvida na minha cabeça que estarei aqui,” disse Dawkins.”Tudo que tenho pensado é positivo com relação a minha volta.”

A situação no tackle é um pouco diferente. Não é a primeira vez que Runyan se torna um “free agent” na Philadelphia. Ele disse que quase partiu três anos atrás. Runyan e Thomas começaram 134 jogos de temporada regular juntos, a maior dupla de tackles da história da NFL.
No entanto, Runyan sabe muito bem como os negócios funcionam.

“Você se prepara pra isso.” Disse Runyan. “Me preparei a três anos atrás. Então não é algo que eu já não tenha passado. Seria bom ficar por aqui, mas se eu tiver que ir, tenho que ir. Ainda sim estarei melhor do que antes. Vamos esperar que todos concordem com isso.”

Runyan disse que espera que seu desempelho em 2008 torne a decisão para o escritório central dos Eagles bem difícil.

“Eu não me preocupo com esse tipo de coisa”, disse Runyan. “Você faz o que pode, complica o trabalho deles. Se o trabalho deles é fácil, então é porque esta na hora de ir.”
Para Thomas, a ferida que ficou na perda para o Arizona é muito recente para pensar no futuro.
“Eu não posso me preocupar com isso agora”, disse Thomas.”Tudo andará normalmente. Vamos esperar pra ver. Agora, esperaremos pra ver o que acontece.”
Buckhalter no entanto, se encontra em uma situação única. Ele não jogou nas três últimas temporadas devido a várias lesões no joelho, então ele não tem toda essa milhagem que um jogador de oitos anos da NFL normalmente tem.
Isso poderia ser um grande fator para os que vão continuar sendo um Eagle.
“Os anos que fiquei fora devido ao joelho permitiu-me relaxar de certo modo, disse Buckhalter. “Acho que é um ponto ao meu favor.”
Mas Runyan disse bem como todos os “free agents” sentem-se de voltar a um time que estava a duas vitórias de chegar ao seu objetivo final.
“ Todos querem fazer parte do time na próxima temporada, mas tudo pode acontecer.”
O que achou? Comente! Amanhã, uma nova matéria exclusiva!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

ANDY REID: É TEMPO DE REAVALIAÇÃO

Tirado do site oficial http://www.philadelphiaeagles.com/news/Story.asp?story_id=17315 e traduzido por este blog.

Contra sua vontade, Andy Reid tem tempo de sobra.

O treinador dos Eagles está liberado, para que na sua folga, que começa na segunda-feira, consiga pensar e revisar a temporada de 2008. Com toda essa montanha russa que foi essa temporada, especialmente no final, Reid pode levar o tempo necessário na sua revisão.

O que é claro, é que haverá mudanças em Philadelphia. O que mudará, Reid não sabe. É tempo de decidir.

“Esses playoffs são decisivos. Claro que ficamos com esse gosto amargo na boca, mas você não quer afastar todas as coisas boas que esse time alcançou e a personalidade que desenvolveram na temporada”, disse Reid. “Ano que vem será um novo ano e teremos novos rumos à seguir como time. Esse foi um time especial, fazendo o que eles fizeram.”
Reid ficou uma hora a mais do que o normal na sua entrevista após o jogo – ele disse que precisava terminar de conversar com “todos os jogadores do time”. Com alguns jogadores, é natural presumir o que foi dito.

Jon Runyan, Tra Thomas and Brian Dawkins são “free agents” (sem contrato, com liberdade para escolherem sair ou não) no auge de suas carreiras, mas todos expressaram seu sentimento de continuar jogando na Philadelphia, mas jogariam em outro time se a oportunidade surgisse. Mesmo assim, Reid disse que nenhuma decisão foi tomada com nenhum dos 10 “free agents” com relação a 2009.

Com alguns jogadores ainda com contrato, Donovan McNabb expressou seu desejo de se reunir com o escritório central dos Eagles durante a folga da temporada para discutir seu futuro no time. Na segunda, o presidente do time Joe Banner disse em uma declaração que espera profundamente que McNabb continue no time na próxima temporada. Porém há a possibilidade de os assistentes de Reid irem para outros lugares em novos empregos.

Reid admite que olhando para o futuro será difícil saber o quanto a perda para o Arizona no Domingo irá afetá-lo, e precisarão de tempo para acalmar as coisas e tomar as decisões certas. Mas haverá reviravoltas.

“Novamente, não cheguei lá ainda. Vou pensar, como sempre faço, o que tenho aqui.” “Novamente, agora ta tudo muito recente. Veremos como as coisas serão nos próximos dias.

O que é decepcionante para Reid é quantas vezes ele teve que aparecer em uma entrevista pós-jogo final da NFC – 4 vezes em 5 aparições. E a próxima chance de retificar os erros de domingo, é daqui a 12 meses, com 11 meses de trabalho duro no meio e no mínimo mais 18 jogos.

Para Reid, o tempo para reavaliação começa segunda. Quando ele decidir que mudanças os Eagles terão que tentar fazer para voltarem melhores.“Você tem que dar um tempo. Tem que voltar e olhar o filme. Tem que se comunicar com o departamento pessoal, olhar os contratos e ver como se encaixa,” disse Reid.” Temos que olhar tudo, e isso leva um tempo. Não é tão fácil e simples como alguns pensam.”
E você o que achou? Comente!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

ESSE TOUCHDOWN FOI HISTÓRICO!

PORQUE ESSE VALE MUITO A PENA REVER!

O novato DeSean Jackson recebe o passe de 62 jardas de McNabb. A "dancinha" de Fly Eagle do final foi hilária e bem apropriada ao momento.

SIM SIM SIM! ANDY REID E DONOVAN MCNABB CONTINUAM.

Em uma entrevista concedida na Philadephia o presidente do time Joe Banner deu um discurso enfático que ambos Donovan McNabb e Andy Reid ficam no time para a temporada 2009/2010.

CONFIRMADÍSSIMOS PORTANTO.
Minhas preces foram ouvidas. Precisamos dos dois e os teremos na próxima temporada.


Porém o RT Jon Runyan, o "Big Jon", nos Eagles desde 2000, o mais bem pago da NFL em sua posição, tem seu contrato terminado nesta temporada, portanto seu destino é incerto, até mesmo no próprio pensamento de Jon de aposentar-se.

É NÃO DEU! E ESTÁVAMOS TÃO PERTO....

Tudo estava indo tão bem.......mas infelizmente o sonho acabou. Esse jogo testou todos os meus nervos e principalmente o coração. Estou vivo ainda, então acho que está tudo certo.

Neste domingo vi dois jogos em um.

Nos primeiros 30 min. vi que o Arizona era muito superior aos Eagles, que Larry Fitzgerald estava iluminado, um time unstoppable....


Nos outros 30 simplesmente vi um Arizona acuado, com síndrome de time pequeno, um passeio dos Eagles, uma superioridade sem tamanho.

Confesso que no fim do primeiro tempo de jogo estava muito decepcionado, nem queria assistir mais o jogo, aquele não era o meu time - na verdade ele nem tinha entrado pra jogar, apenas no segundo tempo.


McNabb muito, mas muito pressionado não conseguiu fazer nada no primeiro tempo, limitando a nossa equipe a 6 pontos (2 field goals), enquanto o Arizona já disparava com 24.

Whatever Andy Reid disse no vestiário, com certeza funcionou.

Half Time e aí fiquei orgulhoso. Dois turnovers mudaram a história do jogo, como se uma tempestade tivesse pairado no dia ensolarado do Arizona.

Comentarei apenas uma jogada. Sim senhores, o touchdown de Jackson. O touchdown de 62 jardas e toda aquela "batata quente" na mão. Foi de arrepiar. Passamos no placar naquela situação, assumíamos alí a liderança do jogo e toda aquela lavada do primeiro tempo estava para trás.

Começamos a sonhar - mas o jogo só termina quando acaba, e ainda tinha muito jogo pela frente.

Warner que estava perfeito no primeiro tempo e não tinha feito nada até então, acordou de seu transe e voltou ao jogo produzindo um drive de touchdown e deixando apenas um pouco menos de 2 min. para os Eagles tentarem algo. E infelizmente não deu....

Destaque nesse jogo para Celek. Esse garoto tem futuro! 2 touchdowns e muitas jogadas importantes. Vamos esperar a próxima temporada.

Ele, ao final da partida chorou, porque viu que todo o excelente jogo que fez não foi o suficiente para bater seus rivais. McNabb fez um segundo tempo perfeito, com um passe para touchdown que entrará na história dos playoffs da NFL, assim como os 3 touchdowns de Larry Fitzgerald e o excelente jogo de Warner (pela terceira vez no Super Bowl).

Dawkins, jogador de defesa, disse tudo na entrevista após o jogo:

- Jogamos mal no início e melhoramos muito depois, colocando nosso time em posição para vencer, mas infelizmente alguns danos já haviam sido feitos antes...

Fico feliz apenas por um motivo. Ter visto um jogo fenômenal de football americano sentado na sala de minha casa. Um show. Um espetáculo.

Parabéns ao Arizona Cardinals, que jogo! Que primeiro tempo! Que football!

Mesmo eliminando o meu amado time, esse cara aqui teve o prazer de ver um grande jogo!

Outro assunto que estava-se cogitando, era a saída de McNabb dos Eagles, dizem que depois disso, desse jogo, ele já era. Espero que não. Ele mostrou que é um excelente quaterback, jogando muito bem mesmo quando tudo estava contra ele e nessa temporada ele foi essencial ao time. Portanto MCNABB FICA!


Para nós acabou. Estávamos tão perto - apenas um passo. Fomos superados por um excelente Cardinals, mas final do ano tem mais, a temporada 09/10, bola pra frente agora.

Agora vamos assistir empolgados o Super Bowl. Steelers X Cardinals.

Direi que minha torcida aqui é pelos Steelers.
Não porque Arizona eliminou os Eagles, mas porque minha namorada que começou assistir agora ao Football americano, e ainda bem que ELA ADORA, simpatiza muito com o o time de Pittsburgh. Ela falou que torceria para o campeão do Super Bowl. E como ela não gostou dos Cardinals, então nada mais justo a torcida...

Mas quem ganhar é irrelevante. Eu quero ver é um grande jogo de Football.

PS: Li que o jogador dos Ravens, McGahhe, que tomou um tackle fodástico de Ryan Clark no jogo pela AFC e saiu imobilizado, está bem, e já está em casa! UFA!

sábado, 17 de janeiro de 2009

A Anatomia da nossa defesa!

Bem, estou repostando esse tópico, visto que foi deletado do BLOG sem explicação nenhuma.

Esse vídeo feito pelo analista de jogadas da NFL, Greg Casell, fala sobre os dois 4° downs dos Giants em "Anatomy of a Play" e o que foi feito pelos Eagles para conter a descida.

As imagens falam por si. Aproveitem, pois o vídeo é ótimo. Essa é a arte do "American Football"


sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

O JOGO DO DOMINGO

Bem, pessoal. Hoje sexta feira será a última postagem que farei antes do jogo de domingo.
Ficarei off para o fim de semana. Tenho que ir ver minha namorada...hehehe
No domingo voltarei para casa para assistir o jogo. Postarei os comentários sobre o jogo aqui lá pelas 21:00hs, horário de término, senão, segunda de manhã. Espero que sejam comentários positivos, afinal é o campeonato da NFC em jogo e a vaga no "Big One".

Um bom jogo a todos e vamos lá. Todos torcendo para os Eagles.
Let´s go Eagles - Believe in Green rumo ao Super Bowl.
Lembrando que o jogo será às 18:00 e será transmitido no BandSports.

X


Se você não tem o BandSports não tem problema, assista pela net nos links:

http://channelsurfing.net/

http://www.myp2p.eu/broadcast.php?matchid=28663&part=sports

ENTREVISTA DONOVAN MCNABB - PARTE 2

McNabb fala sobre os playoffs e o Arizona Cardinals.


Sobre seu nível de conforto nos playoffs: Quando faz parte de uma coisa por muitos anos, você tenta chegar como um jogo de temporada normal; sabendo a magnitude disso e sabendo que é uma temporada de um jogo só. Fazendo parte disto, bem como os outros, temos que jogar sem erros, ir lá e jogar em alto nível para seguir adiante. No jogo, quando pegamos o ritmo é como um jogo normal. Você quer continuar passando isso para os outros. Você quer continuar mostrando isso durante o treino semanal, que não está mudando nada do que está fazendo, sua preparação ou a prática. Mantendo a mesma atitude na prática, se divertindo e brincando com eles, os mantendo relaxados. Porque não queremos ninguém nervoso ou fora de si. Pra mim, enfrento como um jogo de temporada regular, mas ainda sabendo da importância.

Sobre como ele descreveria as ultimas sete semanas da temporada e se há algo comparado com isso em sua carreira: Na verdade não. Os últimos sete jogos foram excitantes. O que está vendo é o nosso football; jogadores se destacando e fazendo boas jogadas. Estão vendo Asante Samuel, que trouxemos de New England, um jogador conhecido na liga, ele está jogando bem conosco. Brian Dawkins que também é bem conhecido no Philadelphia Eagles está jogando bem. Ofensivamente o recebedor DeSean Jackson, Kevin Curtis, Brent Celek e L.J Smith estão ótimos. Isso é algo que me empolga muito, porque são jogadores que esperamos sempre que façam boas jogadas no tempo certo. Tira muito a pressão dos outros jogadores que estão nas posições certas para fazer seu trabalho.

Sobre quanta pressão ele tirou de cima de si mesmo: O jogo é isso aí. Por isso é um jogo de equipe e um jogo que você tem que confiar nos outros jogadores para fazer boas jogadas. Então você sai e faz uma grande jogada, e alguém vai e faz também. Particularmente é bem excitante para nós.
Sobre qual a diferença da defesa do Arizona desde o Dia de Ação de Graças: Estamos vendo seus quatro da linha frontal jogando muito bem. Todos falam sobre os turnovers e as interceptações que eles conseguiram na última semana; o jeito que a secundária deles jogou contra o Atlanta. Eles estão jogando bem. Começando no primeiro jogo contra Atlanta, e ser capaz de neutralizar (Michael) Turners e segurá-lo com apenas 45 jardas terrestres, era o que todos pensaram ser impossível. Então eles foram em Carolina, onde eles tinham dois jogadores com mais de 1000 jardas, e foram capaz de neutralizá-los. Eles forçaram o jogo do passe e foram capaz de grandes turnovers. A sua linha da frente tem sido bem efetiva durante a temporada e também agora nos playoffs.

Sobre como os últimos setes jogos mudaram a percepção dos fãs com relação a ele: Isso não me preocupa e na verdade nunca preocupou. Dada a oportunidade, em algum ponto começarão a se destacar. Novamente, eu gosto muito de aproveitar que os outros estão em boa fase. Tira um pouco da pressão de cima de mim. Tira um pouco a pressão de um jogador como Westbrook. A linha ofensiva se sente confiante que eles podem agüentar seus bloqueios e os caras de trás, ou quem quer que seja como running back, farão uma grande jogada. Mesma coisa na defesa. Eles se sentem orientados e confiantes, e assim alguém fará uma grande jogada, ou um grande tackle ou interceptação, o que seja. Essa confiança está conosco agora. Agora estamos tão empolgados de ir e enfrentar o Arizona Cardinals e continuar o que começamos algumas semanas atrás.

Sobre se ele está surpreso de melhorar com a idade: Tão bom como vinho, baby. As pessoas falam que “ele está ficando muito velho” ou “ele não é capaz de fazer coisas que fazia cinco anos atrás”. Nenhum de nós pode fazer coisas que fazíamos cinco anos atrás; nem vocês.(brincando) Alguns de vocês estão escrevendo mais devagar do que escreviam a cinco anos. As coisas que escrevem no papel não fazem sentido. Alguns de vocês estão vestidos de forma engraçada. Mas sabe o quê? É uma coisa que todos podem se preparar e suportar. Vimos o QB aposentado Vinny Testaverde com 44 anos e ganhando um jogo. O QB do Arizona Kurt Warner chegando em segundo lugar no MVP e conseguindo quase 5000 jardas de passe. Dada a oportunidade, alguns conseguem, outros não. 32 anos não é tão velho assim, é o auge da carreira. Alguns de vocês gostariam de ter 32 anos agora. E te digo uma coisa, é muito divertido.

Sobre se é especial jogar no Arizona onde ele vive e treina fora da temporada: É sim. Uma coisa que tenho dito aos jogadores com quem treino e alguns que disse: “que bom seria voltar aqui e jogar no Arizona?” Não jogar pelo campeonato da NFC, mas vir aqui e jogar por algo especial. Claro, algo especial teria sido no último ano, jogando o Super Bowl em Arizona. Mas sabe o quê? Vamos jogar um grande jogo aqui, jogando contra um monte de amigos; caras que me comunico durante o ano todo e agora jogaremos um contra o outro. Estou empolgado, eles estão, e o time está pela oportunidade. Apenas sete semanas atrás, ninguém pensou que estaríamos nessa posição. Agora estamos aqui e queremos tirar toda vantagem disso.

Sobre o que sabe de melhor sobre o Arizona: Ken Whisenhunt, o técnico, é um cara que vive apenas algumas portas pra baixo da minha casa. Adrian Wilson também. Bertrand Berry é um cara que me comunico com frequência e Larry Fitzgerald também. Tenho alguns amigos no time com quem falo sempre. Estou apenas feliz com o sucesso que conseguiram e feliz com a oportunidade.

Sobre a importância desta ser a viagem mais importante para o campeonato da NFC: Talvez responderei isso apenas se fizermos nosso trabalho e ganharmos o jogo. Então serei o campeão da NFC. Mas estou aproveitando o momento agora; não olhando muito adiante, apenas contando os dias para sair lá e jogar.
Sobre o que tem na memória sobre jogos passados da NFC: Acho que voltaria em 2004, ser capaz de segurar aquele troféu e ser atingido por todo aquele confeti e sabendo que está indo para o Super Bowl. Claro, o ruim é que nós perdemos (no Super Bowl). As coisas que vem a mente agora são as oportunidades que tivemos e não aproveitamos; o jogo do Carolina e de Tampa. Essa é outra oportunidade pra nós de entender que somos privilegiados de estar nessa posição. Mas eu estou apenas empolgado.

Sobre os dois jogos contra Tampa Bay e Carolina serem pontos baixos de sua carreira: Não acho não. Não mesmo.

Sobre a sua visão nos jogos de Tampa Bay e Carolina: Como oportunidade, apenas como outro jogo de temporada que não aproveitamos. Sabendo o tamanho disso, claro, ganhamos e seguimos adiante. Não os coloco como pontos baixos na minha carreira.

Sobre se em algum ponto durante a gravidez de gêmeos de sua mulher, ele pensou em dar um tempo no football: Não, família é família e football é outro problema. Foi duro, mas todos nós passamos por situações difíceis, quer seja com a família ou football.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

ENTREVISTA DONOVAN MCNABB - PARTE 1

McNabb fala sobre o jogo passado contra os Giants.
Amanhã a 2° parte da entrevista, acompanhe!


Q: Que papel você acha que desempenhou aquela descida no fim do 2° quarto baseada na sua habilidade ofensiva de se recuperar no segundo tempo?

R: Acho que foi importante enquanto sabemos o que precisa ser feito para mudar. Pensei que na primeira parte do jogo estávamos tentando fazer muito sem trabalhar o relógio e as jogadas, então, tivemos que voltar porque é assim que temos feito durante toda a temporada. Temos tido muito sucesso antes do intervalo em outros jogos, então voltamos com alguns pontos. Acho que fizemos isso pela confiança do nosso lado ofensivo. Ao sair pra jogar no segundo tempo sentimos que poderíamos lançar boas bolas contra esse time. Eles estariam fechados tentando parar as corridas, mas para passar a bola tivemos que ser eficientes. Nossos jogadores foram lá e fizeram boas jogadas pra gente hoje, o que nos levou a vitória.

Q: No contexto da temporada, e sei que tem muito caminho pela frente, mas como isso se compara com as quatro vezes anteriores que você chegou a decisão da NFC?

R: Bem, eu não sei. Claro que quando ganhamos três seguidas e perdemos o jogo da NFC, um apenas antes do Super Bowl foi uma temporada e tanto. Mas é difícil dizer agora. Acho que esse time tem mostrado o quanto somos fortes mentalmente e fisicamente quando temos que fazer o nosso trabalho, principalmente quando estamos com as costas na parede. E também ser capaz de confiar um nos outros, que cada um fará seu trabalho. Defensivamente fizeram um grande trabalho hoje, Jim Johnson fez bons esquemas defensivos para colocar pressão em Eli e obvimente impedir que eles corressem. Eles deixaram nosso trabalho um pouco mais fácil no ataque, mas semana que vem jogaremos contra um time que não tem nenhum problema em marcar pontos. Teremos que penetrar fundo na defesa para conseguir touchdowns.
Q: Você fala sobre confiança. Kevin (Curtis) deixou cair aquela bola que poderia ser um touchdown e mais tarde ele voltou com duas primeiras descidas importantíssimas. Pode falar um pouco sobre isso?

R: Uma coisa que fiz no início do ano foi mostrar-lhes que confio neles. E isso foi colocar bolas na posição certa para que eles pudessem jogar. Se a cobertura era apertada, ainda mostro que confio neles. Até mesmo se eles deixam bolas cair, eu volto neles. Porque uma coisa que você não quer é ter alguém perdendo a confiança e o que chamamos de baixa-estima em um jogo onde necessito deles. Kevin foi essencial no ataque. Assim como DeSean e o resto dos wide receivers. Ele foi capaz de conseguir muitos first downs em muitas situações e depois veio a mim dizendo: “Desculpe”. Eu disse: “Deixa pra lá, vamos em frente”. Então ele foi e mostrou que tipo de jogador ele realmente é. Você tem que ter memória curta nesta liga.
Q: Pode nos falar sobre algumas jogadas que você fez com seus pés?

R: Bem, É uma coisa que sei que teria que fazer, usar um pouco as pernas. Acho que a linha ofensiva fez um grande trabalho me dando a oportunidade de ficar sozinho no pocket, sem pressão, onde fui capaz de conseguir algum tempo e atingir Jason. E depois com Buck(Halter). Buck fez um grande trabalho se esquivando do linebacker, porque ele estava marcado daquele lado, e conseguiu jardas importantes pra nós, que nos permitiu um field goal que na verdade deveríamos ter marcado um touchdown. Mas é isso que digo. Esse caras no vestiário mostram isso, e se dada a oportunidade, eles conseguem grandes jogadas.
Q: Aquela jogada com Buck foi muito similar daquela onde vocês conseguiram muitas jardas contra os Cowboys. Ele faz de maneira diferente quando vê você improvisando ou é estritamente instintivo?

R: É um sentimento. É o fator da experiência de jogarmos juntos. Sabendo disso, se estou me movendo para achar uma área aberta, os outros também tem o mesmo sentimento e vão tentar achar uma área aberta para receber a bola e conseguir algumas jardas.

Q: Não há um jogo igual o outro no campeonato, mas o que fizeram contra o Arizona no jogo anterior, faz alguma diferença?

R: Sabemos o que eles gostam de fazer, especialmente no lado defensivo. Sabemos que são um time fechado, e sabemos que farão isso mais do que fizeram no jogo do dia de Ação de Graças. Apenas assistindo o jogo deles contra o Carolina, e o primeiro jogo que eles ganharam na semana passada, esse time continua em progressão. Todos falaram que eles não ganhariam na costa leste, e irem a Carolina quando todos esperavam que eles perdessem por muito, eles foram e ganharam por muito, isso significa progressão. Eles não tinham Anquan Boldin no ataque. Larry Fitzgerald apareceu. Defensivamente eles tiveram pressão de Bertrand Berry e Adrian Wilson e todos os outros que estão jogando num alto nível.
Q: Muitos dizem que essa Era dos Eagles com você, (Brian) Dawki(ins), (Jon) Runyan e Tra(Thomas) estava acabada, e contavam com a saída de vocês. O que significa pra vocês chegar até aqui?

R: Bem, temos outra semana de trabalho. Tem pessoas que não nos querem mais, mas estarão assistindo na próxima semana. É muito empolgante pra nós. São 10 anos pra mim, 13 para Dawk, serão 13 para Runyan, 11 para Tra; É algo para ir pra história. Estamos agora em cinco finais de NFC em 10 anos pra mim. Isso mostra a confiança e o treinamento que temos de Andy. Todos acreditam no time e nas oportunidades, sentimos que podemos tirar total vantagem disso tudo. Temos visto Dawk jogar muito bem, Tra fazendo um bom trabalho, Runyan também. Akers tem estado aqui por nove anos ou mais. Para chegarmos onde queremos temos que jogar em um nível altíssimo.
Amanhã tem mais! Gostou? Comente!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

UM POUCO DE EAGLES X CARDINALS

Pela quinta vez em 8 anos, os Eagles decidirão o título da NFC. Neste domingo será contra o Arizona Cardinals no estádio da Universidade de Phoenix, para ter o direito de representar a conferência no Super Bowl XLIII .
O mais engraçado que em todas vezes que os Eagles disputaram a final da Conferência com seu atual técnico, foram com times diferentes: St. Louis, Tampa Bay, Carolina e Atlanta.
Jogamos contra os Cardinals no dia de Ação de Graças americano e anotamos 48 pontos. Sim senhor. 48-20 com 4 touchdowns de Westbrook e três interceptações na defesa. Os Eagles já disputaram final de conferência 2 vezes com os Cardinals no ano de 1947 e 1948, em um sistema completamente diferente do de hoje, onde se dividiam em dois jogos, sendo vitória dos Eagles na soma dos dois.
Nosso quarterback n° 5, Donavan McNabb é o segundo entre todos da pós-temporada com 517 jardas passadas. Já os Cardinals lideram a pós temporada em turnovers e sacks.


Comparação dos dois times:


Defensores dos Eagles contra os wide receivers dos Cardinals

Os Cardinals tornaram-se o terceiro time da história da NFL a ter três wide receivers com a marca de 1000 jardas em uma mesma temporada, junto com os Colts (2004) e RedSkins(1989). O comum entre os dois é que nenhum deles conseguiu ganhar um Super Bowl. Considerando a forte defesa dos Eagles e sua secundária e o fato de ter conseguindo interceptar três vezes Kurt Warner no jogo anterior, faz o vencedor deste jogo sonhar com a vitória no Super Bowl.


Brian Westbrook contra a defesa dos Cardinals

No primeiro encontro do ano na noite de Ação de Graças, Brian Westbrook tocou a bola 15 vezes e marcou 3 touchdowns no primeiro quarto e meio de jogo. Na segunda posse de bola dos Eagles no jogo, Westbrook correu 41 jardas para largar a bola à 1 jarda do touchdown. No total foram: 22 carregamentos, 110 jardas, duas conversões correndo e mais 3 recebimentos de 20 jardas e dois para touchdowns. Arizona estará muito ocupado tentando neutralizar Wesbrook.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

ENQUETE NOVA NO AR

QUEM VENCERÁ O SUPERBOWL XLIII?
Vote! Participe!



PS: Agradeço a oportunidade para a agradecer as mais de 100 visitas no meu BLOG e mais de 200 hits nesta primeira semana de vida. Obrigado.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

PHI X NY: MELHORES MOMENTOS

Com um bom inglês ou não, o que vale são as imagens.
A terceira para 20 jardas onde McNabb evita o sack de dois defensores e lança para Avante conseguir o first down foi inacreditável. (2:47)
Wowww my man!

Let´s go Eagles.
Believe in Green

SIM, A DEFESA FOI DETERMINANTE!

Como já muito comentado, neste jogo contra os Giants, a defesa do Philadelphia foi o grande destaque na ida do time ao Arizona disputar o título da NFC.
As várias boas jogadas e as duas "seguradas" de quartas descidas entraram para o livro de recordes da franquia.
Esse foi o tema de discussão no site oficial em um de seus tópicos e este blog traz na íntegra o que foi dito. Aproveitem.


Tirado do site oficial http://www.philadelphiaeagles.com/news/Story.asp?story_id=17221 e traduzido por este blog.

Não foi tão sexy como parar Dallas duas vezes na quarta para um em 1995, mas as duas paradas no jogo de domingo no 4° quarto de jogo sem dúvida vai para a história dos Eagles.

Philadelphia usou essas duas paradas para pontuar mais um esforço de sua forte defesa na vitória de 23-11 contra os atuais campeões do Super Bowl, New York Giants.

Os Eagles irão voar para o Arizona no próximo domingo para jogar contra os Cardinals pelo campeonato da NFC.

Sendo a vitória sobre os Giants gratificante, o safety Brian Dawkins está longe de estar satisfeito.“Não diria satisfeito”, disse Dawkins. “Satisfeito é quando tudo está dito e feito, e ainda não está. Ainda temos trabalho a fazer.”

Na quarta-para-polegadas na linha de 45 jardas de seu próprio campo com 12:30 restando, Eagles e Giants fizeram mais um capítulo na história de sua rivalidade.Na descida anterior dos Eagles, o quarterback Donavan McNabb achou o tight end Brent Celek para marcar um touchdown e dar a liderança aos Eagles em 20-11.

Nova Iorque teve a bola de volta e, ao invés de trilharem para marcar duas vezes, decidiram atacar os Eagles pelo chão. O running back Brandon Jacobs, que liderou os Giants com 92 jardas em 19 carregamentos, ganhou 18 jardas em três carregamentos consecutivos antes de sair para a entrada de Derrick Ward. Ward ganhou 2 jardas na terceira descida deixando Nova Iorque com quatro-para-polegadas.

O técnico dos Giants Tom Coughlin decidiu tentar e quando o fez a defesa dos Eagles estava praticamente silenciada.

“Nós honestamente não temos que dizer muita coisa um para o outro,” disse Dawkins. “Essas coisas ficaram pra trás. Você conhece a situação. Sabe o que tem que fazer. Todos fazem o seu trabalho, dominam seu marcador e saem de campo. Não precisamos falar muito. Está implícito na situação.

Com os tackles defensivos de Mike Patterson e Brodrick Bunkley liderando a jogada, a defesa dos Eagles deram trabalho ao quarterback dos Giants Eli Manning com um sneak.

“Acho que todos lutaram muito naquela descida,” disse Patterson.” Todos estavam bem posicionados quando eles vieram por cima, e (nós) conseguimos empurrá-los de volta.

Após a tentativa frustrada de ataque dos Eagles em sua posse de bola, os Giants montaram outra descida. Na terceira para dois na linha de 47 jardas em seu próprio campo, Ward, que ganhou 46 jardas em 12 carregamentos Domingo, foi parado sem ganho algum, gerando outra quarta descida.Desta vez os Giants tentaram bater com tudo entre os dois defensores com seu corredor Brandon Jacobs, mas Bunkley e o linebacker Stewart Bradley juntos pararam Jacobs antes da linha de first down.

Os Eagles tiveram a bola de volta e marcharam para a linha de 2 jardas dos Giants antes de entregar a David Akers, para que com um field goal encerrasse o placar.

“Acho que (Patterson e Bunkley) marcaram bem, anteciparam qual seria a jogada.” Bradley disse. “Foi o esforço do time todo. Os laterais conseguiram boa penetração, os safeties estavam lá, os linebackers também, e se você consegue segurar e ter boa penetração, é difícil ter um sneak no quarterback ou algum tipo de corrida. Isso nos deu uma vantagem. Foram grandes jogadas.”
E você o que acha? Comente!

domingo, 11 de janeiro de 2009

ONE MORE DOWN, QUE VENHAM OS CARDINALS

É acabou! Para os Giants claro!
Que o jogo ia ser ótimo isso ninguém duvidou, mas o que me chamou a atenção foi, principalmente no 2° tempo, a facilidade com que o ataque de Nova Iorque era contido.
Uma prova disso foi que os 11 pontos de Nova Iorque vieram de 3 field goals e um safety (questionável)! No touchdowns baby, Zero, Nada, Niente....

Fiquei analisando para descobrir se a defesa dos Eagles estava boa ou o ataque dos Giants estava ruim.

A conclusão: Os dois! Com mais mérito para a defesa, claro.

No ataque Eli Manning não estava inspirado, fez uma ou duas jogadas realmente de importância no jogo e nem ao menos conseguiu um passe para touchdown. Ainda por cima tomou duas interceptações, a última delas a 3:15 do final por Quintin Mikell, jogando a última pá de terra no caixão dos Giants.

Jacobs correu 92 jardas em 19 tentativas, Muito aquém de seu jogo.
Seu reserva Ward apenas 46 em 12 tentativas, o ataque corrido não funcionou e o aéreo muito menos. Manning completou apenas 15 passes em 29 tentados e 169 jardas.

Sem contar que sua proteção funcionou perfeitamente, Eli não tomou nenhum sack nesse jogo. Os dados não mentem, Manning não jogou bem.

A defesa dos Eagles fizeram um excelente trabalho ao segurar dois corredores excepcionais, Jacobs e Ward, e ainda conseguir dois "turn overs on downs", nas duas tentativas frustradas de 4° descida dos Giants.
Um com meia jarda para o first down e o outro com 3. O de meia jarda foi de tirar o folêgo, Jacobs parou na muralha e nem meia jardinha conseguiu.

No ataque McNabb começou nervoso, mesmo conseguindo um touchdown de início.

Mais uma vez sua proteção não funcionou bem e como no jogo em Minnesota a pressão foi grande.
Inclusive gerando um safety contra os Eagles por "intentional grounded", discutido pela defesa.
Tudo isso pela forte pressão que os Giants exerciam em McNabb. No segundo tempo o jogo ficou melhor para nós.
Nosso quaterback "entrou no jogo" e com ótimos passes levou os Eagles a mais um touchdown com Celek, livre e com calma na end zone.
McNabb encerrou o jogo com 22 passes completos em 40, 217 jardas, 2 interceptações e um touchdown próprio e um passe.

Correu quando precisou e se livrou de um sack maravilhoso no terceiro quarto para conseguir um first down que gerou um field goal.

Ele ainda teve o luxo de "atender o telefone dos Giants" no meio do jogo, quando empurrado para o banco adversário. Quanta classe!
(Assista abaixo)

Akers selou a vitória com mais um field goal, a 18° tentativa seguida em playoffs, um recorde na NFL.....

Como o próprio título desta postagem diz, mais um ficou pra trás. Confesso que esperava dificuldade maior. Contra Minnesota o páreo foi mais difícil. Mas valeu......em uma postagem anterior com relação a esse jogo, disse que em Nova Iorque nos sentimos como em Philli e isso tem acontecido em todos os jogos fora de casa.
Sobre os erros, bem, foram bastante minimizados, principalmentea proteção a McNabb, o que levou nosso time a vitória.
Os Eagles mostraram de vez a que vieram e estão na final da Conferencia Nacional, contra um surpreendente Arizona. Lembrando que no jogo contra este time em casa, anotamos nada menos que 48 pontos. Uma vitória maiúscula, porém playoffs é outra coisa, e isso foi provado nessa rodada pelas derrotas dos favoritos: Tennesee, Carolina e Nova Iorque.

Estamos a um passo do SuperBowl friends - se chegarmos lá, pelo menos já posso comprar o meu boné de campeão da NFC.
Méritos sim aos Giants, grande e respeitado rival, que fizeram a melhor campanha da temporada até aqui e tinham capacidade para chegar ao bicampeonato tão esperado por seus fãs. Mas jogo é jogo, e hoje, os Giants foram piores.
As unhas foram roídas e para me acalmar só mesmo minha cerveja gelada com amendoim durante o jogo....Ah, fiz minha namorada assistir o jogo e entender o que é Football americano. ELA ADOROU.

Espero que agora ela seja uma Eagle fan!
Grande abraço a todos.

LET´S GO EAGLES
BELIEVE IN GREEN


QUE VENHA O ARIZONA NO DOMINGO.
OS PÁSSAROS ESTÃO A SOLTA!

X

E você o que achou do jogo? Comente!

LEVAMOS! SOMOS FINALISTAS DE CONFERÊNCIA

UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
23X11. Fumble! Turn overs on downs....Muito emocionado para escrever algo sobre a partida.
Vou me acalmar e depois escrevo sobre esse excelente jogo.
Abraços e Lets go Eagles.
Believe in Green. Rumo ao SuperBowl.
Luiz Antonio

PARA ASSISTIR NA NET


O jogo será transmitido pelo BandSports para assinantes do canal. Se quer assistir pela net, aqui estao os links.

http://www.atdhe.net/live-tv-2206.html
http://www.atdhe.net/live-tv-2214.html
http://www.myp2p.eu/broadcast.php?matchid=28186&part=sports
http://pt-br.justin.tv/marduke77

Bom jogo a todos e nos falamos depois.

Let's go Eagles. Believe in Green

X



Resultado da enquete


Com 85% dos votos, talvez por esse ser um blog exclusivo deles, os Eagles vencem o jogo neste domingo contra os Giants.
Independente do resultado, será um grande jogo.
Faltam 15 min. e as baterias estão se aquecendo e as unhas......bem as unhas já eram....
Bom jogo a todos.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Jacobs sobre a defesa dos Eagles: É a melhor que já joguei contra.

Tirado do site oficial http://www.philadelphiaeagles.com/news/Story.asp?story_id=17184 e traduzido por este blog.


Giants running back Brandon Jacobs tem tido o privilégio – um infortúnio na verdade – de jogar contra todas as 5 melhores defesas da NFL que não são o seu próprio time. E Nova Iorque derrotou todas elas - Pittsburgh, Baltimore, Philadelphia and Washington duas vezes.

Mas os Eagles foram os únicos entre os quatro que tiraram o melhor dos Giants durante a temporada regular. Talvez por isso Jacobs tenha muito respeito entre a sua defesa, que tem sido como um trem de carga liderando os Eagles durante uma improvável ida aos playoffs. Para Jacobs, Os Eagles foram a melhor defesa com quem ele jogou contra nesta temporada.

Agora, Jacobs e os defensores do título do Super Bowl tem que corrigir os erros que levaram a sua derrota para os Eagles na semana 14 no Giants Stadium um mês atrás. No domingo no jogo dos playoffs da NFC em East Rutherford, N.J, Os Giants irão enfrentar a mesma “esquentada” defesa da Philadelphia. Não é uma tarefa fácil, disse Jacobs.

Eu curto assistir os Eagles quando estão jogando contra outros times, porque gosto de ver como se movimentam em campo, ele disse. “Eu gosto mais dos Eagles (do que outras defesas), devida as guerras que temos travado como eles. Nós os encontramos duas vezes ao ano e às vezes até três.”

Nos dois encontros anteriores, os Giants não poderiam se contrastar mais drasticamente. Jacobs controlou o jogo todo no triunfo dos Giants de 36-31 no Lincoln Financial Field na semana 10. Ele conseguiu 126 jardas e 2 conversões, enquanto os Giants foram capazes de controlar cerca de 2/3 de todo o jogo.

Mas na semana 14 Jacobs começou a sentir os efeitos de sua torção no ligamento de seu joelho esquerdo. Seus toques foram limitados a 10, e os Eagles foram capazes de neutralizar o poderoso jogo corrido dos Giants. Mas desde então, Jacobs teve duas semanas consecutivas para se curar - ele ficou no banco na semana 17 contra Minnesota.

E seu reserva, Derrick Ward explodiu, incluindo uma performance de 215 jardas na impressionante vitória dos Giants contra Carolina na semana 16. Na temporada, Jacobs e Ward tornaram-se juntos os primeiros running backs a atingir cada um 1.000 jardas desde 1985, com Kevin Mack and Earnest Byner no Cleveland.

Então os Eagles terão que fazer algumas mudanças também, estando Jacobs 100% curado ou não.

“Eles tem jogadores que podem fazer a diferença. Eles tem dois corredores de 1.000 jardas” disse o linebacker Stewart Bradley. “Isso indica que, embora sua defesa e seus recebedores sejam especiais, a linha ofensiva é realmente o coração e a alma do time”.

Deste modo, a linha ofensiva e o quarterback são as únicas constantes que os Eagles irão enfrentar Domingo. Na semana 14, Kevin Boss foi neutralizado e Jacobs foi nocauteado. Na semana 10 Jacobs estava saudável. Boss esta super-confiante e os Giants tinham sua carta na manga, o wide receiver Plaxico Burress. Desde que Burres esteve involvido em um incidente em um clube noturno em Manhattan, resultando em um tiro na coxa disparado por ele mesmo, ele foi suspenso pelo resto da temporada.

No entanto, o grande desafio dos Eagles é que de não saber que desafios esperar. Quintin Mikell chamou de “Natureza da Fera”, uma coisa que precisa ser resolvida em um jogo de football, especialmente enfrentando um time pela terceira vez.

Em suma, linebacker Akeem Jordan disse tudo.

“Nós não queremos perder”, disse.

Nem os Giants. E eles estão lá para defender o título de campeões.

“Os Eagles vieram aqui e ganharam da gente. Eles queriam mais. Eles foram o melhor time” disse Jacobs. “Agora é diferente, e sabemos o que está em jogo”